Magnésio: o super mineral
Magnésio o super mineral

O magnésio é o quarto mineral mais abundante no corpo. É necessário para a função saudável da maioria das células do seu corpo, mas é especialmente importante para o coração, os rins e os músculos.

De acordo com uma revisão científica,  que inclui estudos datados desde 1937, o magnésio baixo na verdade poderia até ser o maior preditor de doença cardíaca. Outras pesquisas recentes mostram que mesmo a deficiência subclínica de magnésio pode comprometer a saúde cardiovascular.

O baixo teor de magnésio também impede a sua função metabólica celular e deteriora a função mitocondrial (respiração celular).

Além disso,  como um componente necessário para a ativação da vitamina D, a sua deficiência também pode dificultar a capacidade de converter vitamina D após a exposição solar e/ou suplementação oral. A forma como isso acontece está exemplificada abaixo.

 

Magnésio ativa e regula a vitamina D

Dois estudos publicados no ano passado lançaram nova luz sobre as interações entre o magnésio e a vitamina D, alertando que o baixo teor de magnésio impede a capacidade do organismo de utilizar adequadamente a vitamina D, mesmo quando ela está presente.

Um segundo estudo,  publicado no American Journal of Clinical Nutrition em dezembro de 2018, também concluiu que o nível de magnésio no corpo desempenha um papel importante no nível de vitamina D.

No geral, as pessoas com alta ingestão de magnésio tinham menos probabilidade de ter baixa vitamina D. Eles também tinham um menor risco de mortalidade por doenças cardiovasculares e câncer de intestino.

Além disso, descobriu-se que o magnésio tem um efeito regulador, aumentando ou diminuindo a vitamina D com base nos níveis no sangue. Em pessoas que tinham um nível de vitamina D na faixa de de 30 ng/mL (75 nmol/L) ou abaixo, a suplementação de magnésio aumentou seu nível de vitamina D. No entanto, naqueles que iniciaram com níveis mais altos de vitamina D (50 ng/mL ou 125 nmol/L), a suplementação de magnésio diminuiu sua vitamina D.

 

Magnésio é recomendado para quem sofre de enxaqueca

Segundo algumas estatísticas, a enxaqueca é a terceira doença mais prevalente no mundo, afetando cerca de 1 bilhão de pessoas. Ataques de enxaqueca são tipicamente recorrentes, de intensidade moderada a severa, muitas vezes ocorrendo apenas em um lado da cabeça.  Junto com a dor latejante ou penetrante, outros sintomas comuns incluem náusea, distúrbios visuais, tontura, dormência nas extremidades ou na face e extrema sensibilidade à luz, ao som, ao olfato e ao toque.

Embora a causa principal da enxaqueca continue a ser debatida, certas deficiências nutricionais foram encontradas com potencial para exacerbar a condição. A deficiência de magnésio está no topo desta lista, assim como a deficiência de vitamina D.

Pesquisars mostram que quem sofre de enxaqueca é mais propenso a sofrer de deficiência de magnésio do que os não sofrem e, como a administração de magnésio é fácil e segura, os pesquisadores observaram que o tratamento empírico com um suplemento de magnésio é justificado para todos os que sofrem de enxaqueca. 

Em um estudo controlado por placebo, a ingestão diária de 600 miligramas de magnésio na forma de dicitrato de trimagnésio por 12 semanas reduziu a frequência de ataques de enxaqueca em quase 42%, comparado com menos de 16% no grupo de controle.

Em muitos casos, receber uma dose alta de magnésio também pode interromper um ataque em andamento. A maneira mais eficaz de administrar magnésio à enxaqueca é receber uma infusão intravenosa (IV).

Além desta opção, o treonato de magnésio pode ser a melhor alternativa para um suplemento oral. Tem capacidade de absorção superior em comparação com outras formas de magnésio e sua capacidade superior de atravessar a barreira hematoencefálica torna mais provável que tenha um efeito benéfico no sistema nervoso central.

 

Magnésio mais eficaz do que os antidepressivos para a depressão

Outro problema de saúde incrivelmente comum no qual o magnésio desempenha um papel importante é a depressão, pois atua como catalisador de neurotransmissores reguladores do humor, como a serotonina. Pesquisar publicada em 2015 encontrou uma associação significativa entre o consumo muito baixo de magnésio e depressão, especialmente em adultos jovens.

A pesquisa publicada no PLoS ONE demonstrou que a suplementação de magnésio melhorou a depressão leve a moderada em adultos, com efeitos benéficos ocorrendo dentro de duas semanas de tratamento. De fato, os efeitos do magnésio foram comparáveis ​​aos inibidores de recaptação da serotonina em termos de eficácia, mas sem nenhum dos efeitos colaterais associados a essas drogas.

Os resultados foram muito encorajadores, dada a grande necessidade de opções adicionais de tratamento para depressão, além de a suplementação de magnésio fornecer um tratamento seguro, rápido e barato para controlar os sintomas depressivos.

 

Magnésio melhora a plasticidade do cérebro

O comprometimento da memória ocorre quando as conexões (sinapses) entre as células cerebrais diminuem. Embora muitos fatores possam entrar em jogo, o magnésio é importante.

Segundo especialistas, foi descoberto que o magnésio é um ator crítico na ativação de canais nervosos que estão envolvidos na plasticidade sináptica. Isso significa que o magnésio é essencial para os eventos fisiológicos que são fundamentais para os processos de aprendizagem e memória.

Como constatado, uma forma de magnésio, o magnésio treonato, tem a capacidade única de permear o cérebro e aumentar os receptores que estão envolvidos nesse processo.

Os benefícios cerebrais específicos do treonato de magnésio foram demonstrados em um estudo de 2010 publicado na revista Neuron, que descobriu que essa forma de magnésio melhorou as “habilidades de aprendizado, memória de trabalho e memória de curto e longo prazo em ratos”. Segundo os autores, “nossas descobertas sugerem que um aumento no magnésio do cérebro aumenta tanto a facilitação sináptica de curto prazo quanto a potenciação de longo prazo e melhora as funções de aprendizado e memória”.

 

Magnésio melhora a saúde do coração

O magnésio também é importante para a saúde do coração. Conforme explicado pelo cardiologista britânico Dr. Sanjay Gupta, o magnésio ajuda a saúde do coração através de vários mecanismos diferentes. Primeiramente, combate a inflamação, ajudando a prevenir o endurecimento de suas artérias e a pressão alta.

Também melhora o fluxo sanguíneo ao relaxar as artérias e ajuda a evitar que o sangue se torne mais espesso, permitindo que flua mais suavemente.

Todos esses efeitos básicos são importantes para a função cardíaca ideal.

De fato, o baixo teor de magnésio tem sido associado a um risco maior de:  hipertensão, doença cardiovascular, arritmias e morte cardíaca súbita.

Você é deficiente em magnésio?

Quando se trata de medir o nível de magnésio, é preciso salientar que o magnésio no soro não reflete a realidade, já que apenas 1% do magnésio é realmente encontrado na corrente sanguínea.

A melhor forma é obter um teste de magnésio dos glóbulos vermelhos e rastrear seus sinais e sintomas de deficiência de magnésio.  Verificar os níveis de potássio e cálcio também pode ser útil, pois baixos níveis de potássio e cálcio são sinais laboratoriais comuns de deficiência de magnésio.

Confira se você tem algum sinal de deficiência de magnésio:

  • Convulsões;
  • Espasmos musculares, especialmente cãibras nas panturrilhas;
  • Dormência ou formigamento nas extremidades;
  • Resistência à insulina;
  • Pressão arterial elevada, arritmias cardíacas e/ou espasmos coronários;
  • Aumento do número de dores de cabeça e/ou enxaquecas;
  • Baixa energia, fadiga e/ou perda de apetite;

 

Conclusão

A importância do magnésio se torna ainda mais evidente quando se considera que está envolvido em mais de 600 reações bioquímicas diferentes no corpo, que desempenham papéis importantes que vão desde ativação de enzimas até a regulação da glicose no sangue.

Haja vista que a absorção de magnésio depende de diversos fatores incluindo a presença de vitaminas do complexo B, e que os alimentos são cultivados em solos pobres em magnésio, um aporte nutricional adequado é fundamental para se garantir níveis adequados deste mineral no organismo.

Ademais, a suplementação de magnésio pode ser uma forma rápida, barata e segura de garantir todos os benefícios do magnésio no corpo.

Fonte: Mercola.com

 

Entre em contato conosco e saiba mais.

Dr. Alexandre Kaue Sakuma CRM-PR 34966