Você conhece os implantes hormonais bioidênticos?
conhece os implantes hormonais bioidênticos

Muitas são as formas de se realizar a Terapia de Reposição hormonal, por isso é importante estar atento (a) às modalidades que oferecem a maior segurança e eficácia. Neste sentido, os implantes hormonais bioidênticos emergem como uma nova terapia capaz de atenuar o sintomas da andropausa e menopausa com excelente previsibilidade e efeitos colaterais mínimos.

            A Reposição Hormonal (TRH) por implantes é realizada por meio da implantação abaixo da pele de um segmento de tubos de silicone. Esses tubos medem de 4 a 5 cm podendo ser de estradiol e testosterona bioidêntica, ou progesterona sintética. Tais substâncias podem ser usadas de forma associada ou não, de acordo com a necessidade de cada paciente, verificada em exames específicos.

            Os implantes são colocados na região glútea, o procedimento de implantação dura menos de dez minutos e é indolor – já que é feito com anestesia local. Após a implantação, o hormônio é liberado gradativamente na corrente sanguínea, de maneira segura e com dosagem personalizada, por um período de seis meses a um ano. Estes implantes não são absorvidos pelo corpo, o que permite que sejam retirados caso ocorra algum efeito colateral indesejado ou após término da validade do implante.

Não aos efeitos colaterais

            Os Implantes Hormonais de testosterona e estradiol são bioidênticos, o que significa que são feitos em laboratório mas são iguais aos hormônios produzidos pelo próprio organismo, no que diz respeito a estrutura molecular. Desta forma, causam efeitos colaterais consideravelmente menores do que os desconfortos gerados pelos hormônios sintéticos geralmente utilizados nos tratamentos convencionais.

Inovação, praticidade e segurança

Entre os principais motivos que fazem com que os Implantes Hormonais sejam extremamente bem aceitos pelos pacientes, estão:

  • Eficácia: os resultados alcançados por meio do método são excelentes;
  • Praticidade: o paciente só precisa se preocupar com a troca do implante no intervalo de seis meses, ou um ano;
  • Segurança: o método elimina a possibilidade do esquecimento;
  • Controle: garantia de que a dosagem correta será distribuída ao organismo;
  • Bem-estar: a inexistência de efeitos colaterais típicos dos outros métodos de tratamentos em Terapia de Reposição Hormonal.

Por Dr. Felipe Cezar Dias CRM-PR 34055