3 causas de cansaço crônico que você não está buscando
3-causas-de-cansaco-cronico-que-voce-nao-esta-buscando

A síndrome da fadiga crônica é uma doença ainda pouco compreendida, multifatorial, caracterizada por cansaço extremo físico e mental, por pelo menos 6 meses, que não melhora com o repouso. Pode ser desencadeada por eventos agudos ou ocorrer de forma gradual. Seu tratamento, muitas vezes complexo, envolve abordagens que visem o suporte individual integral. Desta forma, ter noção de todos os fatores causais da doença é fundamental.

#1 Infecções crônicas

            Já é bem estabelecido que infecções, sobretudo virais, são capazes de causar distúrbios e desrregulações na nossa imunidade. Tanto infecções latentes quanto reativações podem causar estados pró-inflamatórios e oxidativos capazes de levar a sintomas como fadiga e cansaço. Vírus como o da herpes, Epstein Bar, Parvovírus B19, citomegalovírus, bem como fungos como Mycoplasma e o protozoário Giardia, já foram relacionados a síndrome da fadiga crônica, inclusive após 5 anos da erradicação do patógeno.

#2 Metilação do DNA

            A metilação do DNA é um processo, intrinsicamente ligado a vitaminas do complexo B, necessário para produção de CoQ10 e carnitina, essenciais para a produção de energia celular.  Além disso, é responsável pela ativação ou desligamento de genes, encarregados da produção de proteínas, hormônios e fatores imunológicos, que são fundamentais ao nosso organismo.  Assim, não é de se espantar que estudos correlacionem defeitos na metilação com sintomas como a fadiga. Ademais, a suplementação com vitamina B12 e folato, necessários para a metilação, pode ter um efeito benéfico nestes indivíduos.

#3 Disfunção Mitocondrial

            As mitocôndrias são estruturas que formam a energia para todas as células. Elas absorvem os nutrientes, os decompõem e criam ATP (trifosfato de adenosina), que é a unidade de energia fundamental da célula. Além de seu papel na produção de energia, também regulam aminoácidos, metabólitos e co-fatores enzimáticos. Devido a esses numerosos e importantes papéis, qualquer defeito na função das mitocôndrias terá conseqüências generalizadas. A carnitina e a coenzima Q10 são os marcadores mais investigados na disfunção mitocondrial.

            Diante da gama diversa de causas, as abordagens que visem o apoio nutricional e hormonal da Síndrome da Fadiga Crônica, para recuperação e suporte ao organismo sem abordagem com medicamentos, incluem: a suplementação de minerais como magnésio, zinco, nutrientes para suporte mitocondrial como coenzima q10, L-carnitina, D-ribose, além de vitaminas do complexo  B e terapia de reposição hormonal com DHEA, por exemplo, se indicado.  A análise criteriosa médica para estes pacientes é imprescindível.

Escrito por Felipe Cezar Dias – CRM/PR 34055

Referências:

https://www.health.harvard.edu/a_to_z/chronic-fatigue-syndrome-a-to-z

Mørch K, Hanevik K, Rivenes AC, et al. Chronic fatigue syndrome 5 years after giardiasis: differential diagnoses, characteristics and natural course. BMC Gastroenterol. 2013;13:28. Published 2013 Feb 12.

Morris G, Berk M, Walder K, Maes M. The Putative Role of Viruses, Bacteria, and Chronic Fungal Biotoxin Exposure in the Genesis of Intractable Fatigue Accompanied by Cognitive and Physical Disability. Mol Neurobiol. 2016;53(4):2550-257

de Vega WC, Vernon SD, McGowan PO. DNA methylation modifications associated with chronic fatigue syndrome. PLoS One. 2014;9(8):e104757. Published 2014 Aug 11.

Regland B, Forsmark S, Halaouate L, et al. Response to vitamin B12 and folic acid in myalgic encephalomyelitis and fibromyalgia. PLoS One. 2015;10(4):e0124648. Published 2015 Apr 22.

Filler K, Lyon D, Bennett J, et al. Association of Mitochondrial Dysfunction and Fatigue: A Review of the Literature. BBA Clin. 2014;1:12-23. doi:10.1016/j.bbacli.2014.04.001