Cansaço crônico? Pode ser fadiga mitocondrial

[et_pb_section fb_built=”1″ _builder_version=”3.0.47″][et_pb_row _builder_version=”3.0.48″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”][et_pb_column type=”4_4″ _builder_version=”3.0.47″][et_pb_text _builder_version=”3.0.74″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”]O que são mitocôndrias?

Cada célula do nosso corpo tem componentes minúsculos chamados mitocôndrias, cujo trabalho é converter nutrientes em energia.

As mitocôndrias fornecem energia na forma de ATP (adenosina trifosfato). Essa é a moeda universal da energia. Ela pode ser usada para todos os tipos de trabalhos bioquímicos, desde a contração muscular até a produção de hormônios. Quando as mitocôndrias falham, isso resulta em baixa oferta de ATP, então as células ficam lentas pois não têm energia para funcionar em velocidade normal. Isso se traduz em uma diminuição em todas as funções corporais.

O hipotálamo e a hipófise são especialmente sensíveis a qualquer disfunção e a fadiga é um dos sintomas. As mitocôndrias podem ser desgastadas por neurotoxinas ambientais, pesticidas, infecções bacterianas, virais e fúngicas crônicas, além de deficiências nutricionais e hormonais.

Como a disfunção mitocondrial afeta pacientes com Síndrome de Fadiga Crônica?

Um estudo na Grã-Bretanha demonstrou que 70% dos pacientes com Síndrome de Fadiga Crônica (SFC) têm mitocôndrias ultra estruturalmente anormais. Quando as mitocôndrias não estão funcionando adequadamente, as células e os tecidos do corpo ficam sem energia. Isso fará com que o corpo dependa do metabolismo anaeróbico, resultando em fadiga, dor muscular, baixa concentração, disfunção gastrointestinal, dores de cabeça e má recuperação do exercício.

Um alerta especial aos usuários de medicações como estatinas e betabloqueadores, estes consomem uma importante enzima relacionada à produção de energia na mitocôndria, a Coenzima Q10 (ubiquinona).

Indo mais além, aqui estão alguns sintomas da SFC que ocorrem no nível celular quando as mitocôndrias funcionam inadequadamente:

  • Baixo débito cardíaco

Se não há energia suficiente para as células, isso inclui células cardíacas. Muitos dos sintomas da SFC podem ser explicados pela insuficiência cardíaca em bombear o sangue, porque o músculo cardíaco não funciona adequadamente.

  • Dor no peito

Este sintoma comum em pacientes com SFC, também resulta da entrega de energia aos músculos prejudicada, gerando um sintoma de angina ou dor torácica. O suprimento insuficiente de sangue e a falta de oxigênio são geralmente as causas que a maioria dos médicos reconhece como motivo para a dor no peito. No entanto, a mitocôndria é responsável pela conversão do oxigênio em energia ATP. Com mitocôndrias lentas ou disfuncionais, incapazes de converter oxigênio rapidamente, pode ocorrer dor no peito. Clinicamente, isso não parece angina padrão, então os médicos podem dizer aos pacientes que eles têm dor no peito não típica, o que significa que nada está errado. No entanto, pode haver insuficiência mitocondrial no coração.

  • Efeitos na pele

A pele é responsável por controlar a temperatura do corpo. Ao interromper o fornecimento de sangue para a pele, os pacientes com SFC se tornam intolerantes ao calor. Se a microcirculação na pele for desligada, o corpo não pode transpirar. Esta é uma maneira importante através da qual toxinas, particularmente metais pesados, pesticidas e compostos orgânicos voláteis são excretados. Portanto, o corpo do doente SFC tem maior tendência em acumular toxinas, o que, naturalmente, danifica ainda mais as mitocôndrias.

  • Sintomas nos músculos

Se o suprimento de sangue e energia para os músculos estiver comprometido, então os músculos ficam rapidamente sem oxigênio quando a pessoa começa a se exercitar. Sem oxigênio nos músculos, as células passam para o metabolismo anaeróbico, que produz ácido lático e é o que faz os músculos doerem.

  • Sintomas no fígado e no intestino

O baixo suprimento de sangue para o intestino resulta em digestão ineficiente, produção deficiente de sucos digestivos e síndrome do intestino permeável. A síndrome do intestino permeável causa muitos outros problemas, tais como alergias, autoimunidade, má absorção, etc., o que complica ainda mais os problemas do SFC. Se a circulação do fígado é inadequada, isso resultará em desintoxicação pobre, prejudicando ainda mais a mitocôndria.

  • Efeitos no cérebro

O suprimento de sangue para alguma área do cérebro em pacientes com SFC está comprometido. O padrão é temporário, no entanto, isso explica a multiplicidade de sintomas cerebrais sofridos, como a falta de memória de curto prazo, dificuldade de multitarefa, processamento mental lento e assim por diante. Além disso, as células do cérebro não são particularmente bem abastecidas com mitocôndrias e, portanto, elas ficam sem energia muito rapidamente.

O que fazer para otimizar as mitocôndrias?

A função mitocondrial pode ser reforçada removendo-se o agente agressor quando este pode ser identificado, como infecção, toxina ou deficiência hormonal e suplementação com suporte nutricional mitocondrial. Há uma série de suplementos e agentes que podem ser muito eficazes.

  • Comece com esses hábitos alimentares essenciais agora para estimular sua fábrica de energia e mantê-la funcionando de maneira ideal por décadas:

Parar com açúcar e grãos

Nós todos sabemos que o açúcar faz mal. Coma demais e sua mitocôndria podem não queimá-lo rápido o suficiente para gerar energia, por isso acaba ficando armazenado como gordura e criando radicais livres prejudiciais. Quanto menos açúcar você comer, melhor. Uma maneira pela qual muitas pessoas sem saber exageram no açúcar é com os chamados grãos “saudáveis”, que rapidamente se transformam em açúcar na corrente sanguínea.

Prefira os orgânicos

E com isso queremos dizer evitar alimentos cultivados e produzidos com pesticidas e toxinas que, não surpreendentemente, causam muitos danos mitocondriais. Compre produtos orgânicos locais para reduzir a exposição; procurar produtos de origem animal criados a pasto; e evitar todos os alimentos processados ​​e / ou produzidos em fábricas

Coma o colorido

Quanto mais cor no prato, mais fitonutrientes estão disponíveis para nutrir e proteger as minúsculas, mas abundantes, usinas de energia celular de seu corpo. Procure ingerir em especial verduras e legumes ricos em enxofre, como couve-flor e repolho, que também ajudarão seu corpo a produzir glutationa, que muitos chamam de “mãe de todos os antioxidantes”, devido ao seu papel essencial na saúde celular.

Escolha gorduras saudáveis

Como as mitocôndrias podem usar ácidos graxos ou carboidratos para criar o ATP necessário para produzir energia, fazer isso com a gordura é mais eficiente e gera menos subprodutos de radicais livres.

Impulsione seu ômega 3

Comer mais ômega 3 ajudará a construir as membranas protetoras da mitocôndria, resultando em mais energia para você. Adquira o seu comendo peixes, nozes, sementes e gemas de ovos.

Suplemente

Suplemente suas mitocôndrias com nutrientes básicos (com acompanhamento médico) que adicionam nutrientes protetores e potentes a biogênese mitocondrial, tais como acetil-L-carnitina, o ácido alfa-lipóico, magnésio, coenzima Q10, N-acetilcisteína, NADH, D-ribose e resveratrol.

Hidrate-se na terapia IV

A terapia de aplicação, se torna especialmente eficaz no sentido de aumentar a energia. Permite adicionar compostos antioxidantes com o ácido alfa-lipóico e minerais como o magnésio, garantindo o aporte nutricional máximo, sem interferências externas.

Entre em contato conosco e saiba mais.

Dr. Alexandre Kaue Sakuma CRM-PR 34966[/et_pb_text][et_pb_button button_url=”http://mmiclinic.com.br/artigos/” button_text=”Ver outras postagens” _builder_version=”3.21″ custom_button=”on” button_text_size=”18px” button_text_color=”#000000″ button_border_width=”2px” button_border_radius=”13px” button_font=”||||||||” global_module=”2225″][/et_pb_button][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]