Entenda a relação entre bactérias intestinais e dermatite atópica
Entenda a relação entre bactérias intestinais e dermatite atópica

Pacientes comumente questionam sobre as modificações dietéticas para a prevenção de doenças de pele. Responder essa questão é muitas vezes desafiador dada a vasta e conflitante evidência existentes sobre tópico.

As composições das bactérias intestinais têm sido postuladas como importante na sensibilização a alimentos e na patogênese da dermatite atópica. Prebióticos e probióticos alteram a microflora intestinal e reduzem a inflamação intestinal. Prebióticos são componentes não digestíveis, um exemplo são os oligossacarídeos. Probióticos são microorganismos vivos.

As evidências sugerem que suplementação com prebióticos e probióticos em crianças com alto risco, e ainda, probióticos para as mães no pré-natal, diminui o risco de dermatite atópica. Eliminações na dieta são somente apropriadas para pacientes que tiverem alergia aos alimentos provados por testes laboratoriais. Não são indicadas para mulheres que estão amamentando ou grávidas, pois isso não previne a dermatite atópica.

Aleitamento materno exclusivo por 4 meses ou ainda associado a fórmula hidrolisada parece ser protetivo contra dermatite atópica em crianças com alto risco. Para crianças com risco normal o aleitamento materno parece não diminuir a incidência.

Alerta sobre as fórmulas hidrolisadas, pois elas apresentam para a criança substâncias pequenas como aminoácidos, ao invés de proteínas como no leite materno. Isso está sendo estudado como possível causa de alergias alimentares.

Fonte: J Am Acad Dermatol. 2014 Dec;71(6):1039.e1-1039.e12. Diet in dermatologyPart I. Atopic dermatitisacne, and nonmelanoma skin cancer. Bronsnick T, et al.

 

Entre em contato conosco e saiba mais.

Dr. Felipe Cezar Dias CRM-PR 34055