Qual a relação entre o hormônio DHEA e o sistema imune?
mmi-clinic-imunidade-hormônio DHEA

O hormônio Dehidroepiandrosterona (DHEA) é secretado principalmente pelas glândulas adrenais que constituem os esteroides mais abundantes da circulação.

            É um importante precursor para hormônios sexuais e exerce funções diretas sob diversos sistemas do corpo, dentre eles, o sistema imune. A relação entre sistema endócrino e imune já é bem estabelecida, tendo hormônios a capacidade de modular a resposta imune e vice-versa.

            Como o sistema imune é complexo as análises da influencia do DHEA na imunidade buscam efeitos diretos em determinadas células. Assim, estudos revelam que o tratamento com DHEA pode resultar em melhores parâmetros imunológicos, incluindo níveis de monócitos, função das células B e T e níveis de células NK. Observou-se, também, uma associação entre baixos níveis de DHEA e altos níveis de IL-6, uma molécula inflamatória implicada na senescência imune.

            Outra possível forma de ligação do processo de envelhecimento, níveis de DHEA e sistema imune pode ser descrita pela notória redução dos níveis plasmáticos de DHEA com o avanço idade, assim como a redução da atividade  de outra  célula efetora do sistema imune, o neutrófilo, podendo estes dois mecanismos estarem relacionados com estado de senescência e aumento da suscetibilidade de idosos à infecções.

            Além disso, o DHEA desempenha um papel crítico, servindo como um contrapeso ao cortisol. O cortisol é um hormônio adrenal com propriedades imunossupressoras, enquanto o DHEA pode ter propriedades imunoestimulantes diretas. Embora os níveis de DHEA diminuam dramaticamente com a idade, os níveis de cortisol permanecem relativamente constantes, levando a um desequilíbrio desses dois hormônios que, acredita-se, contribuem para a senescência imunológica.

            Desta forma, estudos apontam para uma possível influencia direta do DHEA sobre a imunidade por mecanismos ainda não totalmente elucidados, o que é corroborado de certa forma pela marcante queda nos níveis de DHEA e a deteriorização do sistema imune com o avanço da idade. Contudo, ressalta-se  que a reposição hormonal com DHEA deve ser feita em casos de deficiência e sempre com acompanhamento médico.

Referências:

Brauer, Verônica SoaresDissertação de Mestrado 
Ação imunomoduladora do esteroide dehidroepiandrosterona (DHEA) na resposta efetora de neutrófilos infectados in vitro por Salmonella enterica serovar Typhimurium. Ribeirão Preto, 2016

Buford TW, Willoughby DS. Impact of DHEA(S) and cortisol on immune function in aging: a brief review. Applied physiology, nutrition, and metabolism = Physiologie appliquee, nutrition et metabolisme. Jun 2008;33(3):429-433.

Khorram O, Vu L, Yen SS. Activation of immune function by dehydroepiandrosterone (DHEA) in age-advanced men. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. Jan 1997;52(1):M1-7.

Straub RH, Konecna L, Hrach S, et al. Serum dehydroepiandrosterone (DHEA) and DHEA sulfate are negatively correlated with serum interleukin-6 (IL-6), and DHEA inhibits IL-6 secretion from mononuclear cells in man in vitro: possible link between endocrinosenescence and immunosenescence. The Journal of clinical endocrinology and metabolism. Jun 1998;83(6):2012-2017.

Weksler ME. Immune senescence and adrenal steroids: immune dysregulation and the action of dehydroepiandrosterone (DHEA) in old animals. Eur J Clin Pharmacol. 1993;45 Suppl 1:S21-23; discussion S43-24.